quinta-feira, 8 de julho de 2010

A e(s)trelinha

Em todo o discurso parecia caber uma ressalva.

O que era dito, era o que era?
Uma pedra era uma pedra.
O que mais a pedra era?

A essa altura havia uma duvida  embutida nos detalhes mais banais.
Não conseguia frear a entrelinha,  ela tomava a cena, alinhavava cada fato e para cada feito apresentava uma infinidade de sentidos e significados, era muito criativa.

Agora a entrelinha era a estrela : E(s)trelinha!!

Se fazia popular, só dava e(s)trelinha,
e(s)trelinha pra cá, e(s)trelinha pra lá

a mocinha, que boba não era,  resolveu se apresentar .


 - Quer ser minha amiga, E(s)trelinha?

3 comentários:

senhorita feliciana disse...

vamos fazer um livro infantil!?
suas colagens!
nossas estórinhas-estrelinhas... que tal?

(pro tomasinho!?)

lindo! : )

senhorita feliciana disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Colageno de Dona–Turu disse...

vamoooooo